Blog atualizado periodicamente com notícias, legislações e matérias relacionadas ao Comércio Exterior no Brasil.
Boa leitura.
Danielle Manzoli

Obs: legislação extraída com auxílio do boletim elaborado pela empresa Belux. Fone: (61) 3233-3439 - mfsegre@gmail.com

quarta-feira, 12 de maio de 2010

EXPORTAÇÃO FICTA - RESUMO

por: Danielle Rodrigues Manzoli


SERÁ POSSIVEL A EXPORTAÇÃO FICTA DE BENS (EXPORTAÇÃO SEM A SAÍDA FÍSICA DO BEM DO PAÍS) PARA AS SEGUINTES HIPÓTESES:

*DESPACHO DE EXPORTAÇÃO COM COBERTURA CAMBIAL, SEM SAÍDA DO BEM DO PAIS COM CONSEQUENTE DESPACHO DE IMPORTAÇÃO, SENDO QUE A EXPORTAÇÃO DEVE SER FEITA PARA:
I - a órgão ou entidade de governo estrangeiro ou organismo internacional de que o Brasil seja membro, para ser entregue, no País, à ordem do comprador; ou
II - a empresa sediada no exterior, para ser:
a) totalmente incorporada, no território nacional, a produto final exportado para o Brasil;

b) totalmente incorporada a bem, que se encontre no País, de propriedade do comprador, inclusive em regime de admissão temporária sob a responsabilidade de terceiro;
c) entregue a órgão da administração direta, autárquica ou fundacional da União, dos Estados, do Distrito Federal ou dos Municípios, em cumprimento de contrato decorrente de licitação internacional;
d) entregue, em consignação, a empresa nacional autorizada a operar o regime aduaneiro especial de loja franca;
e) entregue, no País, a subsidiária ou coligada, para distribuição sob a forma de brinde a fornecedores e clientes;
f) entregue a terceiro, no País, em substituição de produto anteriormente exportado e que tenha se mostrado, após o despacho aduaneiro de importação, defeituoso ou imprestável para o fim a que se destinava; ou
g) entregue, no País, a missão diplomática, repartição consular de caráter permanente ou organismo internacional de que o Brasil seja membro, ou a seu integrante, estrangeiro.
NO CASO DO ITEM "A" ACIMA (em verde), A total incorporação ao produto final que foi importado, objeto da DI, deverá ser comprovada mediante laudo técnico.


-OPERACIONALIZAÇÃO:
DECLARAÇÃO DE EXPORTAÇÃO: O despacho aduaneiro de exportação será feito no Siscomex, com indicação do fundamento legal correspondente à exportação sem saída do território nacional.

DESEMBARAÇO DA EXPORTAÇÃO: O desembaraço aduaneiro da exportação ficará condicionado à apresentação DA DI NO SISCOMEX, REFERENTE a mercadoria estrangeira à qual será incorporado o produto exportado fictamente (no caso do item "a"acima);
NESSE CASO A DI ACIMA CITADA DEVERÁ refletir a operação de aquisição do produto completo, mediante a indicação da correspondente descrição, quantidade, classificação fiscal e valor aduaneiro, e conter, ainda, no campo destinado a Informações Complementares, a descrição, a quantidade, a classificação fiscal e o valor do produto desnacionalizado (EXPORTADO FICTAMENTE) a ser a ele incorporado, bem assim o número da respectiva declaração de exportação;

Ou

Nos demais casos, O DESEMBARAÇO DA EXPORTAÇÃO ficará condicionado à apresentação DA DI NO SISCOMEX, REFERENTE o produto desnacionalizado (exportado fictamente), a ser entregue ao importador brasileiro por ordem do adquirente sediado no exterior, nas demais hipóteses.
NESSE CASO A DI ACIMA CITADA DEVERÁ indicar a quantidade, a classificação fiscal e o correspondente valor aduaneiro do produto desnacionalizado (EXPORTADO FICTAMENTE) a ser entregue ao importador e conter, também, no campo destinado a Informações Complementares, a descrição, a quantidade, a classificação fiscal e o valor da totalidade do produto desnacionalizado, bem assim o número da respectiva declaração de exportação.
OBS: Os despachos aduaneiros de exportação e de importação serão processados na mesma unidade da Secretaria da Receita Federal e desembaraçados em seqüência.
A empresa que opere o regime aduaneiro especial de drawback poderá utilizar as exportações realizadas nos termos desta Instrução Normativa para fins de comprovação do adimplemento das obrigações decorrentes da aplicação do regime. ISSO APLICA-SE AINDA, no caso de obrigações decorrentes da suspensão do imposto sobre produtos industrializados relativo a matérias-primas, partes e peças nacionais utilizadas na fabricação do produto exportado, nos termos da legislação específica.

SEGUE UM ALGORITIMO DA OPERAÇÃO CITADA NO ITEM "A":
1- EMBARQUE PARA IMPORTAÇÃO DO BEM ONDE SERÁ INCORPORADO O BEM NACIONAL A SER EXPORTADO FICTAMENTE.
2- FAZ-SE A DECLARAÇÃO DE EXPORTAÇÃO DO BEM A SER EXPORTADO FICTAMENTE, NA MESMA URF DE DESPACHO DA MERCADORIA A SER IMPORTADA, MENCIONADA NO ITEM 1.
3- REGISTRA-SE A DI DO BEM ONDE A MERCADORIA A SER EXPORTADA FICTAMENTE SERÁ TOTALMENTE INCORPORADA, MENCIONANDO, NO COMPLEMENTARES DA DI a descrição, a quantidade, a classificação fiscal e o valor do produto desnacionalizado (EXPORTADO FICTAMENTE) a ser a ele incorporado, bem assim o número da respectiva declaração de exportação;
4– APRESENTA-SE A DI E DECLARAÇÃO DE EXPORTAÇÃO NA URF E O FISCAL REALIZA OS DOIS DESEMBARAÇO, CONDICIONANDO A APRESENTAÇÃO DE LAUDO COMPROVANDO QUE A MERCADORIA EXPORTADA FICTAMENTE FOI TOTALMENTE INCORPORADA NA MERCADORIA DA DI.
5 – POSTERIORMENTE, FAZ-SE O DETERMINADO LAUDO E APRESENTA-SE NA RFB PARA ENCERRAR AS OBRIGAÇÕES REFERENTE AO PROCESSO EM QUEST

7 comentários:

  1. Parabéns pela iniciativa

    Cláudio Aguiar
    Belo Horizonte

    ResponderExcluir
  2. Muito bom. Resolveu meu problema de forma simples.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom. Resolveu meu problema de forma simples.

    ResponderExcluir
  4. Quais impostos incidem sobre a exportação ficta?
    Anselmo
    Nova Lima - MG

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anselmo
      para exportar nao há tributos federais, porém, qto ao icms, deve-se checar no seu estado se tem isenção. Aqui em SP, existe um convênio de redução de ICMS.

      Excluir
  5. Bom dia
    Se importo uma componente de aviaçao sobre regime de Deposito Afangegado, A nacionalizaçao será feita pois o componente foi instalado em uma aeronave estrangeira. Entendo que esta peça deverá ser entao nacionalizada e exportada certo? e ainda os impoostos federais e estadual todos suspensos/exonerados?
    Favor informar
    Obrigado Luiz Marcelino - Sao Paulo

    ResponderExcluir
  6. Bom dia
    Se importo um componente de uso em aviação, sobre regime de Deposito Alfandegado e posteriormente este componente é instalado em uma aeronave estrangeira, pergunto; Na nacionalizaçao, entendo que teremos que fazer uma exportaçao deste componente bem como os impostos federais e estadual sendo suspensos/exonerados, certo? favor comentarem
    Obrigado pela atençao
    Marcelino - S.Paulo

    ResponderExcluir